9 dicas para economizar uma boa grana com itens de ciclismo

itens de ciclismo classificado de bikes usadas e novas
Foto: pixabay

Quem é que nunca ficou com medo de comprar produtos pela internet? Saiba que adotando alguns pequenos cuidados você pode comprar produtos e itens de ciclismo mais baratos e sem qualquer aborrecimento.

Dica 1: Estude o produto

Antes de mais nada, anote a primeira e mais importante dica: PESQUISE tudo sobre o produto que você procura. Faça um verdadeiro estudo sobre o produto que você procura. Pesquise sobre as principais características, prós e contras, preço, etc. Não há erro maior do que comprar às cegas e ter a maior dor de cabeça.

Dica 2: Pesquise na internet e em lojas físicas

Pesquise os preços do produto pela internet e em lojas físicas. Normalmente os preços praticados na internet são mais acessíveis. E isso acontece por um simples motivo: o custo de manutenção de um site é bem menor que o de manutenção de uma loja física, funcionários, aluguel, etc., etc., etc.

Além disso, uma boa estratégia é tentar que algum lojista (loja física) cubra o preço da internet. Com a crise que o país enfrenta, muitos comerciantes não querem perder vendas. Aí está uma grande oportunidade para pechinchar e conseguir o preço de internet.

Dica 3: Conheça o produto de perto

Ok! Não conseguiu um bom preço em uma loja física? Hora de partir para compras na internet. E para não comprar um determinado produto às cegas, por que não ir a uma loja física para ver de perto? Essa é uma forma de ter contato com o produto e evitar surpresas.

Por exemplo, dia desses procurei uma camisa e um short de ciclismo em uma grande loja de esporte localizada em um shopping. Após experimentar, procurei o mesmo produto pela internet, na loja virtual da própria rede. O preço estava absurdamente mais barato. Perguntei ao vendedor se era possível cobrir o preço do site. A resposta foi negativa. Simples! Comprei pela internet, paguei mais barato e ainda consegui frete grátis.

Portanto, não se preocupe em testar o produto em lojas físicas. Se todo mundo optar por comprar pela internet, quem sabe os comerciantes não passam a vender os produtos com um preço mais acessível?

Saiba mais:

Dica 4: Conheça o vendedor

Após decidir pela compra pela internet, é hora de tomar alguns cuidados relacionados à segurança. Antes de sair colocando seus dados pessoas e/ou passando o cartão, verifique a reputação da loja.

Procure em sites especializados em pesquisas de preço. Normalmente, esses sites apresentam qualificações das lojas virtuais. Além disso, vale também uma pesquisa em sites especializados na defesa do consumidor, como por exemplo, o www.reclameaqui.com.br e o www.consumidor.gov.br. E uma rápida pesquisa você vai saber se vale a pena ou não comprar em determinados sites.

Além disso, compras em classificados e portais também podem ser interessantes, desde que você verifique a reputação do vendedor. Procure sempre vendedores com históricos positivos em suas vendas.

Dica 5: Conecte-se em redes seguras

Cuidado ao utilizar redes públicas e computadores infectados com vírus (e outras ameaças virtuais). Por isso, procure sempre realizar compras em redes privadas e utilizar computadores confiáveis. Isso vale para os smartphones e tablets. A tecnologia avançou, e as ameaças, também.

Dica 6: Dilua o frete na compra

Muitos consumidores fogem de lojas virtuais por conta do frete. Não são todas as lojas que possuem frete grátis. Mas aí vale uma dica bacana. Se você comprar vários produtos em uma loja, o frete será diluído em vários produtos. Ou seja, no final das contas, vale a pena pagar o frete e aproveitar os bons preços praticados em lojas virtuais.

Fiz isso recentemente: comprei um ciclocomputador, luvas, garrafa, suporte de caramanhola, kit de remendo e bolsa de selim. Comprei tudo na mesma loja, e o frete cobrado foi de R$17,00. Se eu tivesse comprado apenas um produto, não seria vantajoso. Mas como comprei todos esses produtos, ficou bastante interessante.

Saiba mais:

Dica 7: Saiba os seus direitos

Nem todo mundo sabe, mas o Código de Defesa do Consumidor prevê que o consumidor possui o prazo de 7 (sete) dias a contar da compra ou da entrega do produto para desistir do negócio, desde que a compra seja realizada  fora do estabelecimento (ou seja, isso vale para compras pela internet).

Comprou e não gostou? Simples. Peça o cancelamento da compra e devolução do seu dinheiro. Ah, e atenção! O comerciante é obrigado a fornecer um sistema de logística reversa para devolução do produto sem custos!

Portanto, recapitulando, você pode desistir imediatamente após a compra (antes de o produto chegar) ou após a chegada do produto, desde que respeitado o prazo de 7 (sete) dias. E pra finalizar essa dica, você NÃO precisa apresentar motivo algum. Basta pedir o cancelamento da compra e a devolução do valor pago.

Dica 8: Conheça o prazo de garantia

Prazo de garantia: o Código de Defesa do Consumidor estabelece o prazo de 90 (noventa) dias, a contar da compra para o consumidor reclamar de algum defeito no produto. Além disso, é comum que as empresas forneçam um prazo maior: o famoso prazo de garantia. Mas cuidado! Normalmente as empresas estabelecem, por exemplo, um prazo de 1 (um) ano de garantia, mas já englobando os 90 (noventa) dias da lei. Ou seja, na verdade, são 9 (nove) meses + 90 (noventa) dias. Fique atento!

E se der problema? O que eu faço? Se o produto estiver dentro do prazo de garantia, será preciso acionar o fabricante, que terá o prazo de 30 (trinta) dias para realizar o reparo. Caso o produto não seja consertado nesse prazo, o consumidor pode: (a) pedir o dinheiro de volta; (b) pedir um abatimento no valor; (c) exigir a troca do produto por outro novo. Ah, e aqui quem escolhe é o consumidor.

Dica bônus!

Procure na internet sites que divulgam cupons de desconto de grandes lojas virtuais. Quase sempre é possível conseguir 10%, 15% de desconto, ou até mesmo um frete grátis.

É isso aí, pessoal! A tecnologia está aí ao nosso favor.

Espero ter ajudado! Até breve!

Felipe Mendes – @rumo_ao_parquet
Ciclista, pós-graduado em Ordem Jurídica e Ministério Público, pela Fundação Escola Superior do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios

 

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista dos demais colunistas do blogbikebazar.
Sobre Felipe Mendes 5 Artigos
Formado em Direito. Servidor Público há quase 5 anos. Atualmente é Chefe da Assessoria Jurídica do Instituto de Defesa do Consumidor (PROCON/DF). Aguardando nomeação para o Cargo de Delegado de Polícia Civil do Distrito Federal. Possui Pós-Graduação em Ordem Jurídica e Ministério Público, pela Fundação Escola Superior do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios. Criador do portal de conteúdo @rumo_ao_parquet no Instagram. Começou a pedalar recentemente, em outubro de 2017, mas sempre foi praticante de esportes.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*