Simplicidade, humildade e honestidade… Valores de um ciclista bom de pedal que conquista a região de Ribeirão Preto!

Lindiberg humildade e brutalidade
Gui & Anna

Lindiberg Yosetake nasceu e reside em Ribeirão Preto. É formado em Gestão Ambiental pela Faculdade Barão de Mauá (2009) e em Licenciatura em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP). Além disso, o cara é bom e bruto no pedal!

Além de ciclista, Lindiberg é um cara de muitos apelidos… Você pode conhecê-lo como: “Gui” (seu apelido de infância), “Lind”, “Joe” e “Linder”. Cada um com seu motivo que aos poucos iremos contar…

“Gui” aprendeu a pedalar ainda criança e, quando jovem, pedalava esporadicamente. Na infância, seu verdadeiro sonho era tirar a CNH e ter um carro. Entretanto, tudo isso começou a mudar quando ele começou a cursar a faculdade de Licenciatura em Ciências.

Como tudo começou?

“Lind”, apelido que vem da abreviatura de seu nome, morava longe de sua faculdade e, um belo dia, teve de ficar até mais tarde no Campus, por volta das 23h. Como ainda não tinha seu tão sonhado carro, teve de ficar esperando o ônibus.

Passado algum tempo, o ônibus apareceu e Lindiberg fez sinal para que ele parasse. Triste ilusão… O motorista fingiu que não o viu e passou reto… Quem nunca passou por uma situação dessa, não é verdade?!

“Linder”, outro apelido oriundo de seu nome, ficou extremamente nervoso. Como o outro ônibus demoraria demais, resolveu ir a pé para sua casa. A partir de então, ele decidiu que não dependeria mais de ônibus e que buscaria um transporte alternativo.

Você já sabe o que aconteceu, né?

Com essa ideia na cabeça, começou a reparar nas pessoas que pedalavam… Os estilos e a flexibilidade que uma bicicleta pode proporcionar. Como estava sem dinheiro, passou a fazer tudo a pé com o objetivo de economizar o dinheiro das passagens do transporte público. Com isso, conseguiu a quantia necessária para comprar sua bicicleta. Queria comprar uma Caloi City na época, mas resolveu buscar mais informações…

Foi pedir sugestão para o avô de seu primo, cujo apelido era Nero. O avô sempre teve uma Monark Barra Circular vermelha… E qual modelo você acha que ele sugeriu ao Lindiberg? Exatamente o mesmo modelo!

“Gui”, apelido de infância por causa do “g” mudo de Lindiberg, gostou da ideia e acabou comprando uma. Em homenagem ao avô de seu amigo, nomeou-a de Nero. Sua relação com a magrela só melhorou e, com o passar dos anos, seu desejo pela CNH e pelo carro começou a diminuir.

Hoje, com 34 anos, “Lind” vai para o shopping, cinema, balada, trabalho, churrascos, confraternizações, palestras e mercado, sempre com o Nero, seu fiel amigo.

E como o Nero tornou Gui um mito no pedal?

Assim como o Nero apareceu ao acaso na vida de Gui, a criação do mito também surgiu de uma boa coincidência…

Certo dia, voltando da faculdade (usando calça jeans, tênis AllStar cor magenta, camiseta básica e um capacete que ganhou do irmão), Gui passou em frente ao grupo de pedal Canela Vermelha eLindiberg humildade e brutalidade viu várias bicicletas. Ao reconhecer um amigo que estava retirando a bicicleta do carro para ir ao pedal, perguntou se podia participar, e foi do jeito que estava vestido!!!!

Alguns meses depois, começou a participar ativamente deste grupo (sempre com sua roupa simples para um pedal), e sempre ficava para trás, já que estava despreparado e portando uma bicicleta simples, com ciclistas que tinham bikes leves, várias marchas, freio a disco e outros acessórios…

Cansado de ficar para trás, começou a treinar subidas íngremes para ganhar força e resistência. Detalhe: não levava água, pois não tinha onde colocar… Para melhorar ainda mais seu pedal, ele definiu como meta “sempre ficar atrás do pelotão e nunca desistir, sempre pedalar, por mais que sobrasse nas pedaladas em grupo”. Além disso, sempre levava uma mochila com várias coisas para ficar mais pesado e forçar seu treino!

Com isso, “Joe”, apelido que ganhou dos grupos de pedal, por ser “JoeTro Mundo” (de outro mundo), melhorou muito no pedal. Destacou-se e começou a ser alvo de comentários do tipo: “Como pode?! Eu gasto R$ 20.000,00 numa bicicleta com marchas, freio a disco e toda equipada, para ser ultrapassado por uma Monark velha ultrapassada?!”.

Depois disso, Joe começou a ficar conhecido. Atualmente, faz parte de 22 grupos de ciclismo da região de Ribeirão Preto. É aceito por todos e todos o respeitam. Não consegue estar presente em todos os pedais que realizam, mas diz:

“Receber pensamentos positivos, motivar as pessoas pelo seu estilo de pedal e compartilhar informações úteis no cotidiano, isso tudo gera respeito mútuo e presença nos grupos.”

Apesar de estar rodeado de amigos ciclistas, ele gosta muito de pedalar sozinho. De preferência fazer longas distâncias tanto de dia como de noite.

Já fez pedal noturno de 120km, sem o uso do farol (para aperfeiçoar a visão noturna). Já fez pedal solitário de 249,4km, levando apenas a mochila de hidratação, documento de identidade e R$6,00 em moedas.

Gui, agora possui 3 bikes e contou para nós do blogbikebazar as características de cada uma:

Nero: Uma Monark Barra Circular, vermelha, sem marcha e com a coroa e o K7 originais. Tem farol fixo à bateria e lanterna traseira à bateria recarregável, sempre mantendo o máximo de originalidade possível. Além disso, não usa peças de marcas boas nela, pois acha desnecessário adquirir uma peça cara de marca reconhecida, sabendo que vai durar a mesma coisa que uma marca desconhecida. Gui diz:

“Posso fazer a manutenção ou mesmo fabricar a peça que está faltando, ou simplesmente adaptar. O Nero não tem marcas ou peças caras vendidas no mercado”

Luiz: Uma Caloi 10, ano 1976, com dez marchas, 95% das peças originais, sem pedal de taco e com o máximo de rusticidade possível. No Luiz, escolheu a cor amarela, em homenagem ao seu pai adorar esta cor (ele mantém um Chevrolet Chevette 1975 amarelo) e ser descendente de japonês. O nome “Luiz” faz homenagem ao seu avô paterno, que levava o nome brasileiro de Luiz;

Anna: Uma simples bicicleta cargueira antiga da marca Gallo, vermelha, freio contra-pedal e sem muito luxo. O nome de Anna faz homenagem a sua finada avó materna (detalhe, a avó materna chegou a conhecer a bicicleta cargueira e se apaixonou quando soube que seu nome foi colocado na bicicleta justamente em sua homenagem).

Clique nas imagens para ampliar

E não para por aí…

Atualmente, participa também do Projeto “Guias do Pedal”, que consiste num passeio ciclístico com deficientes visuais nas vias públicas e nos parques da cidade de Ribeirão Preto.

Utilizam as bicicletas duplas (tandem) para pedalar, onde o guia fica no selim da frente e o deficiente visual atrás, ambos pedalando e se divertindo bastante.

Clique nas imagens e entenda o motivo do Gui se destacar no pedal, confira seus treinos e tempos:

O que dizer para nossos leitores?

Para finalizar, Lindiberg deixou um recado para vocês, leitores do blogbikebazar:

“Respeito a todos os ciclistas, mas sugiro alguns recados para todos que são amantes do ciclismo:

1. Jamais veja os ciclistas de maneira inferior ou superior a vocês, mesmo que a pessoa tenha uma bicicleta simples ou repleta de tecnologias modernas, isso tudo não fará muita diferença;

2. Alimentação é o diferencial. Não adianta nada se entupir de suplementos alimentares e manter uma alimentação natural descontrolada, exagerando nas bebidas alcoólicas e sobrecarregando o fígado com tantos produtos químicos. Os suplementos alimentares não são 100% naturais, pois se fossem, não seriam vendidos em embalagens plásticas;

3. Jamais discriminem alguém. Meus ídolos, por exemplo, são aqueles aposentados ou trabalhadores que usam uma cargueira de ferro ou uma Barra Forte / Circular no cotidiano e aguentam subir ladeiras que um ciclista de alta tecnologia utilizaria aquela marcha mais leve para subir;

4. Por mais que a velocidade do grupo esteja alta, jamais desista! Não demonstrem o cansaço físico e mental (digo isso, pois muitas pessoas se sentem vitoriosas ao perceber que o companheiro de ciclismo está passando mal ou cansado ao lado);

5. Estabeleçam metas / objetivos para que possam melhorar o seu desempenho.”

Agradecemos o Gui pela oportunidade de compartilhar conosco sua história e seus valores!

Gostamos muito de conhecê-lo!

Se curtiu esse post, compartilhe! Ajude o blogbikebazar crescer!

Até a próxima!

Equipe blogbikebazar

Sobre Equipe blogbikebazar 119 Artigos
Somos um grupo de amigos da cidade de São Paulo, apaixonados por bikes, ciclismo e triathlon. Pedalamos há mais de 16 anos e queremos compartilhar com vocês, ciclistas iniciantes e profissionais, nossas experiências adquiridas!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*