Medidor de potência na bike, “firula” ou realidade?

medidor de potência dr sandro rodrigues ciclismo
Foto: pixabay

Salve amigos, eu de novo por aqui. Essa questão me intrigou por algum tempo e é uma dúvida constante de meus alunos e amigos. Afinal, um medidor de potência realmente pode ajudar o ciclista?

A resposta é sim e não, ou depende, por inúmeros fatores, que tentarei descrever brevemente para vocês chegarem à conclusão se, no seu caso, é um bom investimento.

Mesmo estando mais acessível a ciclistas amadores, o preço ainda é bem salgado, muitas vezes custando mais caro do que a própria bicicleta. Depois que você tiver a certeza que pode investir em um potenciômetro, resta entender a sua real função e utilidade.

De uma maneira geral, o medidor de potência ou potenciômetro consegue medir em Watts a potência gerada por sua força nos pedais, lembrando que a formula física da POTÊNCIA é: (FORÇA *DISTÂNCIA / TEMPO).

Post relacionado

E o que muda medir em potência (Watts) ou velocidade média (km/h), por exemplo?

De uma maneira simplista, a potência é uma medida constante, não sofre com a interferência do percurso (subida ou descida) ou mesmo do vento. Já a velocidade média sofre com o percurso. Na subida, a sua média tende a cair e na descida, aumenta consideravelmente.

A potência pode ser a mesma na subida, descida, contra ou a favor ao vento. E isso pode ajudar na hora da prescrição do treinamento e da quantificação de carga.

Mas antes do medidor de potência, a meu ver, você deve estar com a técnica bem apurada e ter vivenciado muitos quilômetros, entendendo perfeitamente outras variáveis físicas e biológicas, tais como velocidade, cadência (RPM), altimetria, frequência cardíaca, etc, que são pré-requisitos para poder brincar com a potência.

Você gostará de ler:

Depois disso, consulte um treinador, que irá escolher e aplicar um teste mais adequado à sua realidade para definir as zonas de potência de cada treino. Inclusive, ele pode pré-estabelecer sua potência ideal numa prova ou até mesmo, descobrir, dependendo o modelo do potenciômetro, se você realiza mais força com uma perna que na outra.

Enfim, se realmente está na hora de você investir neste aparato, pode ser um “brinquedo” em tanto!

Grande abraço e ótimos treinos!

Dr. Sandro Rodrigues dos Santos
Doutor pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP);

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista dos demais colunistas do blogbikebazar.
Sobre Dr. Sandro Rodrigues 2 Artigos
Formado em Educação Física e Fisioterapia, Pós-graduado em Treinamento Desportivo, Fisioterapia Musculoesquelética e Gestão de Academias, Master Training pela Vo2Pro - a maior certificação em corrida de rua do Brasil. Na área acadêmica, fez Mestrado e Doutorado pela faculdade de Medicina da UNICAMP, além de atuar como preparador físico de equipes profissionais de futsal conquistando junto à SELEÇÃO BRASILEIRA de futebol a MEDALHA DE OURO nas paraolimpíadas em LONDRES 2012. Já atuou como professor em cursos de Graduação em Educação Física e atualmente leciona em Cursos de Pós Graduação. É supervisor técnico da academia Move.Fit, Sócio-Proprietário da Academia IRON COMPANY Saúde e Fitness LTDA, além de diretor técnico da StartMove Assessoria Esportiva. Amante do esporte, é atleta, ciclista e triatleta.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*