Afinal, carboidrato pode ou não pode?

carboidrato pode ou não pode
Foto: pixabay

Não só pode, como deve! Nessa onda de carbofobia as pessoas têm esquecido que temos vias metabólicas preferenciais para cada tipo de intensidade de treinamento e recrutamento de fibras musculares… E para nós, amantes das pedaladas o carboidrato é essencial!

Mas e de onde vem o crescente consumo de gorduras, então?

Bem, existe uma  adaptação do músculo esquelético ao treinamento de endurance (Baixa e moderada intensidade – 45 a 65% do VO2Max) havendo uma menor utilização de fontes energéticas de carboidratos e maior eficiência na utilização das fontes de gorduras.

Por esta razão as pessoas começaram a consumir mais gorduras nos treinos. Essa estratégia pode beneficiar perda de peso, mas não aumento de performance, ok!

A performance de atletas que treinam e competem em competições de endurance depende sim de carboidratos já que seus estoques de glicogênio não dão conta da quantidade energética demandada pelo exercício.

American College of Sports Medicine possui orientações sobre a quantidade de carboidrato que cada atleta necessita de acordo com a intensidade do treino.

Por exemplo, se tenho um exercício de intensidade moderada (de até 1 hora) posso trabalhar com 5 a 7 gramas de carboidrato por quilo por dia, se esta atividade passa a ser mais intensa (de 1 a 3 horas) posso trabalhar com carboidratos de 6 a 10 gramas por quilo por dia, podendo chegar em até 12 gramas por quilo por dia em provas longas!

Vale ressaltar que as estratégias para consumo de carboidratos dependem também do objetivo de cada atleta: Será para ultraendurance? Prova de endurance? Reposição rápida? Pré treino? Pós? Enfim, para cada situação, uma estratégia!

Lembre-se que além dos géis e produtos industrializados, temos alimentos naturais que podem ser boas fontes de carboidratos: Tâmaras, Frutas em geral (atenção especial para a banana), suco de uva, batata doce entre varias fontes.

Trace suas metas, pedale e procure um nutricionista habilitado!

Bons treinos!

Profa. Nayara Cavalcanti
Nutricionista
Nutrição Esportiva Funcional
MBA Marketing Estratégico
Coord. de Bacharel em Nutrição na Universidade Metropolitana de Santos – UNIMES
(13) 3288-2254

Os textos, informações e opiniões publicados nesse espaço são de total responsabilidade do autor. Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista dos demais colunistas do blogbikebazar.
Sobre Nayara Cavalcanti 3 Artigos
Graduada em Nutrição, pós graduada em Nutrição Esportiva Funcional, possui MBA em Marketing e é mestranda em Ciências da Saúde. Possui experiência em esporte desde 2008. Atuou como nutricionista de equipe profissional de ciclismo em 2009/2011 (Memorial de Santos). Atualmente acompanha equipes/assessorias de ciclismo amador (icycle 013 e vello48), é nutricionista do clube de futebol Portuguesa Santista, coordena o curso de Nutrição da Universidade Metropolitana de Santos e atua em consultório com foco em esporte.

2 Comentário

  1. Embora eu seja apenas um ciclista amador, eu pedalo pesado. Há duas semanas eu passei uns dias com baixíssimo consumo de carboidratos. Eu quase passava mal enquanto pedalava… olha só o perigo. Depois disso nunca mais, ingiro carboidrato sim, claro, na medida certa e os de menor índice glicêmico.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*